Fogo!



Neste artigo, não vou analisar uma “canção” em específico, pois quero, valendo-me de exemplos gerais, enfatizar que os hinos devem sempre exaltar o nome do Senhor. Eu sei que, ao abordar esse assunto, estou mexendo num “vespeiro”, uma vez que os “hinos” de maior sucesso e apelo comercial são aqueles que priorizam efemeridades, e não o louvor a Deus.
Boa parte dos cantores evangélicos segue ao caminho do humor e da auto-ajuda. Eles divertem e animam o público com letras que, desprovidas de sólido fundamento bíblico, só servem para confundir e promover um evangelho que não dá à Pessoa de Cristo a devida honra, além de induzir o povo a deixar de lado a reverência.

500 graus? Chamem os bombeiros!

Uma conhecida composição (já antiga, mas famosa) menciona um calor de centenas graus celsius na presença de Deus, mais precisamente “500º de puro fogo santo e poder... Pra fazer o inimigo fugir de você”. Tudo bem, tudo bem... Licença poética, linguagem figurada... No entanto, responda-me com toda franqueza: Você acredita mesmo que esse tipo de letra exalte o nome do Senhor, ou é apenas, atrelada ao estilo musical, uma canção motivacional, animadora, que “mexe” com o público?
E o que dizer de uma canção “evangélica” pela qual se afirma o que menciono abaixo?

Incendeia, Senhor, a sua noiva...
Ele vem, ele vem saltando pelos montes;
Seus cabelos, seus cabelos são brancos como a neve.

Ora, não devemos supervalorizar a simbologia do fogo, que aquece e ilumina os corações (Jo 8.12; Mt 4.16), para cantar que Cristo incendeia a sua noiva! Tudo tem limite! Afinal, que Deus é esse, que, além de incendiar a sua Igreja, vem saltando pelos montes? Isso sem levar em consideração o estilo musical empregado nessa canção, pra lá de dançante. Infelizmente, muitos hoje, enganados, acham o “máximo” dançar à vontade dentro dos templos destinados à adoração.
Várias canções (e não hinos) entoadas pelo povo de Deus possuem ritmos arrastados, com batidas repetitivas, o que produz um “clima” de descontração, e não de adoração. Precisamos decidir, caros irmãos: O que vamos fazer no templo, adorar a Deus ou buscar entretenimento? Quem quiser diversão, deve procurá-la em outros lugares, pois o templo é lugar de oração, louvor e exposição da Palavra de Deus (At 2.42-47; 5.21), e não de dança e entretenimento.





Ciro Sanches Zibordi

2 comentários:

Tharsis Kedsonni disse...

Eu nunca fui simpatizante desses hinos exageramente antropocêntrico.

Esse artigo do Pastor Ciro deve ser colocado em todos os blogs cristãos!

Deus abençoe vocês!!

Paulo Adriano Rocha disse...

Bpa odéia de ter postado esse artigo, mas ele bem que podia ser maior, né? Se a gente for analisar o tanto de música ruim, com letras fora da Bíblia e algumas até anti-bíblicas, passaremos o resto do ano. Abraços a vocês!

Seguidores